NECESSIDADE CONSTANTE DE INVESTIMENTO - FIQUE ALERTA!!!

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017 às 18h24

A atividade de transporte exige dos empresários constantes e elevados investimentos em veículos, equipamentos, instalações, mão de obra, tecnologia, etc. É intensiva em capital e o retorno é de longo prazo, o risco é muito alto e a margem de lucro é sempre pequena por ser uma atividade exercida em regime de livre concorrência de mercado.

A partir de 2.013 a demanda por transporte caiu assustadoramente, as transportadoras tiveram que arcar com os elevados custos de ociosidade e reposicionamento da capacidade instalada, levando o setor à descapitalização e ao prejuízo na quase totalidade das empresas.

Antes da recessão, aproveitando os juros subsidiados, houve um boom de investimento em veículos. Poucos planejaram corretamente o aumento de frota, a maioria ficou com os caminhões parados pelo encolhimento do mercado de transporte e não conseguia, sequer, vender os veículos que se tornaram ociosos, assumindo custos elevados, inclusive financeiros.

Agora, que a economia dá sinais de melhoras e alguns setores retomam lentamente a trajetória de crescimento, é o momento dos transportadores repensarem, com muito critério, a necessidade de recuperação da rentabilidade e do capital de giro, eliminação da ociosidade, fazer novos investimentos calculando o custo e a taxa de retorno, além de garantia das operações por um prazo contratual maior e definido.

Com base em estudos e pesquisas, uma transportadora para obter uma boa saúde econômica e financeira deve gerar uma “Ebitda” em torno de 30%. Lembrando que, a Ebitda é uma sigla em inglês que traduzida para o português significa “Lajida“ - Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. É um excelente indicador de geração de caixa, produtividade e solidez.
Antes de assumir novos financiamentos, é bom checar pelo menos os seguintes itens:
  • Para investir em frota nova, fazer as contas analisando a taxa de retorno e o efeito no fluxo de caixa; A EMPRESA QUEBRA É POR FALTA DE CAIXA! Independente de patrimônio,
  • Atenção com o custo fixo, inclusive o de contratação de motorista, os impostos etc.;
  • O contrato com o cliente deve prever um volume mínimo de transporte por cinco anos, que é o prazo normal de financiamento e de depreciação;
  • Estabelecer multa pela descontinuidade das operações antes do prazo contratual ou redução do volume de transporte;
  • Prever data base para reajuste, independente da cláusula de disparo automático do gatilho para repasse do custo de óleo diesel.
O Setcemg alerta: a decisão de investimento de longo prazo deve ser muito bem analisada, levando em conta que a economia do país é muito oscilante, o que torna o risco ainda maior.

Fonte: SETCEMG

Notícias Relacionadas

Newsletter

Cadastre-se e receba as melhores notícias em seu e-mail:

É rápido. Cadastre-se agora!

Classificados

  • Vobeto Transportes Seleciona

    Motoristas de carreta, categoria E com experiência para rotas dentro e fora do Estado. Desejável curso MOPP.

  • Caminhão Volvo 2003

    Caminhão Volvo em ótimo estado de conservação. Modelo FH 12 380 Ano: 2003

  • Caminhão Iveco Stralis 380

    Caminhão Iveco Stralis 380 em ótimo estado de conservação. Ano: 2003 Marca: Iveco Modelo: Stralis 380

  • ALUGO BARRACÃO 600M²

    Barracão na Avenida Costa e Silva, nº 3662, Em frente a rodoviária. Área construída 600M2 Valor Aluguel R$ 8...

SETLOG MS | Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de MS

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de MS

Rua General Paulo Xavier,165 | Chácara Cachoeira - CEP: 79040-540
Campo Grande - Mato Grosso do Sul | Fone/Fax: (67) 3342-4144
setlogms@setlogms.org.br

Desenvolvido por: Youzoom